O Que É Web Site Adjacente?


Gerador De Trafego Automatico


Bem duvidoso este título, não é? Contudo vamos lá: como o meu ego está inflado hoje, deixa eu falar outras coisas que penso sobre o universo blogueirístico e que são capazes de - ou não - ajudar de dicas pra alguns de vocês. Em primeiro espaço, eu não possuo um web site literário. Os mais espertos perceberão que este espaço é pessoal. É um diário, sabem? Mas, eu sou livreira.


E uma das minhas diversões prediletas é ler. Daí minhas resenhas sempre começam assim como: eu narro uma banalidade cotidiana minha e migro para o livro que li. É uma fórmula que tem êxito? Estou sendo original com isso? Eventualmente sim. Eu desconheço outros blogs que façam o mesmo.


Na verdade, eu não adoro muito de blogs literários. A maioria neste instante começa o post com a resenha da editora e, ao fim de sua opinião (que não dura mais que cinco linhas), a criatura fornece nota ao livro. É algo desnecessariamente profissional, no momento em que a intenção do site é a bagunça e o acúmulo de anotações, rabiscos, frases soltas.


Percebam que hoje, o real site pessoal é o Tumblr: Lá ninguém tem desonra de ser feliz - todo mundo enfia gifs e imagens toscas, inspiradoras, engraçadas. Frases de autorias duvidosas. O website adquiriu um sentido profissional, como se tudo ali estivesse sendo vendido, como se você fosse uma máquina repetindo sugestões.

  • 6 situações em que um trabalhador não pode ser demitido
  • Cheques sem fundo
  • O que fazer no momento em que você está lamentoso por amor. Os s
  • Como ser blogueira - Hora de gerar o blog
  • 4 - Mostrar ou não mostrar
  • 12- Jeff Peixoto (Sujeito de sorte)
  • Aprontar a Carta de Vendas e Disponibilizar o ebook no Blog
  • 7 MELHORES INVESTIMENTOS NO CANAL E Blog

Mas tem coisa pior: os web sites das sofredoras adolescentes. Sabem aquelas crianças que dedicam mais de um ano do site a discutir do namoradinho da escola? Do quanto elas tentam ser orgulhosas e indiferentes, entretanto acabam voltando para os braços do amado e o círculo vicioso se repete? Sério, eu nunca sei o que conversar, e também “vai passar” e/ou “o tempo cura tudo”.


Visto que tudo isso é verdade. Eu já fui uma delas (o que me faz imaginar que, quem visita esse blog desde o início, tem que ter sofrido também com o quão insuportável eu fui naquela época). Logo por isso: cê quer ter um blog? Seja original. Entende o que é ser original?


Expor de si mesmx. Fala da tua vida, no final das contas, você é alguém única, mesmo que leve um dia-a-dia banal. Ninguém é semelhante a você. Neste instante parou pra ponderar nisso? Se você realmente pensa em ficar famosx por meio de um web site, dessa forma não necessite ser a próxima Bruna Vieira ou o próximo Felipe Neto. Faça com que o seu nome apareça, sem carecer de comparações. Não obstante, o episódio de você ser únicx, apesar de fazer com que você lide com criatividade, não lhe apresenta o justo de ser hipócrita e nada humilde. Cê tá na mídia? Assim continue os pés no chão. Também é feio acreditar-se superior, tipo só porque é bloguete de revista Capricho. Outra coisa, seja participativx na blogosfera.


Retribua visitas. O sucesso do teu blog depende do público que o acessa. Entretanto, um primeiro passo precisa ser dado. Quando comecei a blogar, eu selecionava os espaços virtuais que me interessavam e ia lá, uma vez por semana, lia a publicação mais recente da pessoa e deixava um comentário pertinente àquele texto (aliás, faço isto até hoje).